Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2010

cinema de graça!

Agora, tem SESSÃO LIVRE no Cineclube 14 Bis todas as sextas, às 18h.

30.04:
[TEMPOS MODERNOS]
(Charles Chaplin, 1936, Comédia, 87min)

Classificação: Livre

Sinopse (divulgação):
O "Vagabundo" sofre um colapso nervoso por trabalhar em uma fábrica repleta de geringonças, como um "Comedor para Funcionários", que promete diminuir para apenas 15 minutos o horário de almoço. Ao se recuperar, encontra a fábrica fechada e, confundido com o líder de uma greve, acaba preso. Saindo da prisão, encontra uma jovem em apuros e a ajuda. Os dois se unem atrás de felicidade e emprego, e vivem uma série de aventuras.
A excelência de Chaplin nessa obra não fica datada: Tempos Modernos é uma sátira atemporal.

Siga no Twitter:

@instituto14bis

carta da terra

Imagem
Dia 22 de abril é o Dia da Terra.

PREÂMBULO
Estamos diante de um momento crítico na história da Terra, numa época em que a humanidade deve escolher o seu futuro. À medida que o mundo torna-se cada vez mais interdependente e frágil, o futuro enfrenta, ao mesmo tempo, grandes perigos e grandes promessas. Para seguir adiante, devemos reconhecer que no meio da uma magnífica diversidade de culturas e formas de vida, somos uma família humana e uma comunidade terrestre com um destino comum. Devemos somar forças para gerar uma sociedade sustentável global baseada no respeito pela natureza, nos direitos humanos universais, na justiça econômica e numa cultura da paz. Para chegar a este propósito, é imperativo que, nós, os povos da Terra, declaremos nossa responsabilidade uns para com os outros, com a grande comunidade da vida, e com as futuras gerações.

TERRA, NOSSO LAR
A humanidade é parte de um vasto universo em evolução. A Terra, nosso lar, está viva com uma comunidade de vida única. As forças d…

deixe voar

Transcrevo na íntegra este texto que recebi por e-mail, publicado na Folha de São Paulo em 18.04. Sou fã do trabalho do Dimenstein, da seriedade com que ele se debruça sobre a temática da Educação. Afinal, investir em Educação, Cultura e Arte é a única solução...

Deixe Voar

GILBERTO DIMENSTEIN

Conseguem-se façanhas notáveis quando o jovem é visto não como um problema, mas como solução.

UM DOS MAIS importantes cineastas brasileiros, Cacá Diegues tem 70 anos, o que, por si só, lhe daria certo direito à arrogância ou à impaciência com o amadorismo. Apesar da fama e da idade, ele se submeteu a um exercício de humildade. Convocou centenas de jovens dos morros do Rio para participarem como coautores de um filme sobre as favelas - e aí teve de enfrentar (e perder), em diferentes fases do trabalho, várias discussões técnicas com amadores.
Desse laboratório, realizado no ano passado, saiu o "5x Favela", uma sequência de cinco histórias, cujo argumento e roteiro saíram da cabeça dos jovens…

todo dia era dia de índio

Imagem
Gostaria de fazer um tocante discurso em homenagem aos povos indígenas e demais oprimidos pela anti-fraternidade humana, incluindo os animais, claro, mas não consigo. Como apreciadora da arte e da pureza genuína dos índios, e defensora da justiça entre todos os povos, choro por eles, por tudo que fizeram contra eles nas américas, de norte a sul. No Brasil, as poucas tribos sobreviventes vivem delimitadas por fronteiras num pedaço da terra onde outrora vagavam soberanos, sem medo ou limitações. E obrigados a digerir uma cultura que não é a sua, enquanto os costumes originais, pouco a pouco, vão sendo esquecidos. Há os que comiam carne humana, mau gosto total. Não digo isto em defesa da nossa pele, mas porque o ser humano é o animal mais nojento que existe. Afinal, comer carne animal faz parte da cadeia alimentar, por que sentir repulsa pelo fato de a carne humana ser apreciada por determinados povos? Nossa cultura também é cheia de maus gostos... Melhor nem enumerar.

Daí, vem um projeto…

noite fora do eixo

Imagem
Eram 20h quando cheguei no teatro municipal, ontem. A produção do Festival Fora do Eixo em Guaxupé ainda estava acontecendo e não havia ninguém na plateia. Desconjurei interiormente meus conterrâneos que não sabem aproveitar uma boa oportunidade, principalmente porque, habitualmente, nas modorrentas noites da nossa cidade o tédio só é quebrado pelas risadas dos bares e, eventualmente, por algumas cantorias.
Depois das 20h30 o público começou a chegar, primeiro tímidos adolescentes cabeludos vestidos de preto seguidos, paulatinamente, por toda sorte de amantes do rock. A plateia não lotou mas teve peso, quem presenciou o som da Caldo de Piaba, do Acre, Burro Morto e Cabruêra, da Paraíba, se emocionou com a qualidade do som. Marcos David secretário do DCET não compareceu. Já é o 3º evento cultural que participo e não o vejo. Na terça, no encontro organizado pelo Instituto 14 Bis, o secretário de cultura justificou sua ausência. Já Luís Renato Braga, diretor da divisão de cultura e músico…