glauco, lennon, gandhi e as borboletas

É sempre pesaroso demais quando uma pessoa é morta sob violência, como aconteceu com John Lennon, Mahatma Gandhi e, na última madrugada, com o cartunista Glauco, 52, e o filho Raoni, 25. Pelas crenças e viagens espirituais do Glauco, certamente ele está consciente do seu novo estado e da nova dimensão que ocupa. Ele fundou a igreja do Santo Daime em São Paulo, a Céu de Maria ( http://www.ceudemaria.org ). Mais um cara que pregava a paz e atraiu violência para si.

A Doutrina do Santo Daime é uma prática religiosa cristã, ecumênica, que repudia toda forma de fanatismo, sectarismo, racismo e intolerância religiosa. Através de suas condutas os seguidores têm provado que a ingestão ritualística do Santo Daime no contexto religioso, ao lado da prática social decorrente da doutrina, amplia nossa capacidade perceptiva, criativa, cognitiva e de discernimento, além de ajudar a assumir nossas responsabilidades pessoais e coletivas. Constitui-se, portanto, em um agente profilático e terapêutico a serviço da elevação da consciência do ser humano.
( http://www.ceudemaria.org/doutrina.html )

Glauco considera que estamos vivendo, há tempos, um apocalipse ambiental. Mas tem esperança na consciência que vê despertar no mundo. "Vai que, de repente, vira e o povo começa a dar valor a essa cultura que sempre negou, acho que dá tempo de mudar." Sua ligação com os índios é forte. Os dois filhos, ambos com 18 anos, têm nomes indígenas - Ipojucam e Raoni, este já iniciado na doutrina. "O Daime é uma floresta concentrada. Quando entrei na mata pela primeira vez senti que era habitada, cheia de seres espirituais. Cada árvore derrubada tinha uma energia espiritual que não vai mais poder ser aparelhada. Mas acho que o Brasil ainda tem muita mata, dá para a gente acordar, para segurar esse povo."

"A cura todos vivem, seja ela física, mental ou espiritual. Se você está harmoniza­do, o Daime lhe mostra realidades muito finas, superiores. Mas enquanto não arruma a casa não dá para sintonizar naquela FM do astral", diz Glauco ( http://www.ceudemaria.org/tracosespirito.html )

Eu particularmente, nunca fui muito chegada nas tirinhas de humor do Glauco e do Angeli, por exemplo, mesmo dando "algumas risadas" com os exageros da Rê Bordosa (que é do Angeli). Porque em vez de provocar mudanças, as mensagens ficavam na média, conservando certos preconceitos. Tirar sarro de um comportamento que não é legal é diferente de tirar sarro, mas apontar um novo caminho. Talvez nem seja a hora de dizer isto, mas é que eu queria fazer uma homenagem ao Glauco, porque ele era um artista de talento, e espiritualista. Ao mesmo tempo, ficar só nos elogios seria hipocrisia ou talvez eu não compreenda o que são hqs, charges e cartuns.









Enquanto isso, no planeta Terra, os abalos sísmicos continuam no Chile; presos políticos fazem greve de fome em Cuba e a primeira-dama francesa não usa sutiã sob um terninho elegante e ganha destaque no mundo todo... E eu continuo matando borboletas pilotando automóveis assassinos, uma, duas, três, perco a conta até Campinas. E a lei do eterno retorno? Durante a viagem eu falei pra minha mãe: "Ah, que triste, matei uma borboleta amarela". No que ela retrucou: "Deve ficar chateado quem mata por querer".

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

transformAÇÕES

guerreira da roça

guaxupé - cem histórias