amor de índio, andorinha e bruxa

A carta-testamento escrita por uma tribo de índios Guaranis Caiovás à presidenta Dilma na semana passada revela, mais que um crime contra a constituição, um crime hediondo que vem sendo cometido desde o descobrimento do país, onde ninguém é punido por praticá-los e, ao que tudo indica, nem será (se Marina Silva tivesse sido eleita, certamente, interviria em favor dos povos indígenas - ou, talvez, também fosse assassinada?). Provavelmente, como o furacão Sandy que hoje varreu lixo, prédios e gente de diversas cidades americanas, a população indígena do Brasil será exterminada num futuro não muito distante. E com ela, suas crenças, costumes e "sabedências". O que os seus algozes fingem não saber, é que também serão varridos do mapa um dia (desejo que com o mesmo sofrimento que impingem às suas vítimas). A transitoriedade da vida é uma certeza absoluta, por este motivo, a ambição desmedida pela matéria torna-se ridícula. Para esses índios, a palavra é sinônimo de alma e de vida: "Primeiro fez-se o Verbo". E há esperança na morte. Sinto muita vergonha da humanidade e dessa falsa democracia em que vivemos, mas este sentimento não alivia o sofrimento dessas pessoas, que como eu, têm temores e sonhos. Não consigo avaliar se as muitas petições que circulam realmente servirão para minimizar o sofrimento dos menos favorecidos, dos que sofrem com a intolerância ou com o preconceito. Mas ainda bem que existem. A única certeza é de que os habitantes da Terra poderão não conhecer a mesma DIVERSIDADE de seres vivos que há hoje em dia e, ainda, serão penalizados pelas intempéries (dizem os místicos - e os cientistas - que estamos vivenciando o fim de uma era). É a Lei da Física ou a Lei do Eterno Retorno. Quem estará aqui para fazer abaixo assinados por eles? Talvez novas formas de comunicação venham em seu auxílio. Ou façam uso de tecnologias impensáveis no momento atual. Conhecerão, pelas telas de avançados computadores, o povo bárbaro que um dia habitou o mesmo planeta. Ao captarem a beleza da diversidade humana, sentirão inveja de tamanha liberdade.

Meu coração por ti
Delata
De la ta
Dilata


PARA CRIANÇAS MAIS FELIZES
(e para os adultos que nunca envelhecem)


MALHADO SINHÁ
AMANHÃ À TARDE, 31/11, às 15h
NO TEATRO MUNICIPAL DE GUAXUPÉ
Entrada GRATUITA

É possível um Gato amar uma Andorinha? Para o escritor baiano Jorge Amado por meio da deliciosa história “O gato malhado e a Andorinha Sinhá”, sim. Inspirado livremente no texto de Amado, a Cia. Cênica Aruanã realizará o seu primeiro espetáculo, em fase de criação, que unirá simultaneamente as linguagens artísticas de Circo, Teatro e Dança.  
A história conta os encontros e desencontros do Gato Malhado, de quem todos os bichos morriam de medo, e de sua paixão pela doce Andorinha Sinhá. A Andorinha era a única que não tinha medo, pois ela voava e ele não. Do encontro surge uma paixão, porém, esse amor entre os dois é proibido, não só porque o gato é visto com desconfiança, mas também porque a andorinha está prometida ao rouxinol.
Os conflitos do amor, a amizade, o respeito às diferenças e a paixão nos grandes centros urbanos são alguns dos temas que serão abordados no espetáculo. 
A direção do espetáculo é de Rodrigo Matheus, integrante do Circo Mínimo, de São Paulo, é um dos responsáveis pelas seleções de artistas para o Cirque du Soleil em São Paulo. Desde 2002, Rodrigo vem dirigindo espetáculos, sempre utilizando técnicas circenses em contextos teatrais, como por exemplo, "Fantasmas" - com a Central do Circo, para a abertura do Festival de Curitiba e “Miranda e a Cidade”, de Aimar Labaki, em 2008 no Teatro Popular do SESI.
Classificação do espetáculo: livre Duração: aproximadamente 50 minutos.


DIA DAS BRUXAS

Comemorado em 31 de outubro, é uma tradição na cultura americana. No Brasil, as escolas de Inglês costumam festejar a data, para seus alunos vivenciarem os costumes e exercitarem o idioma. Não deixa de ser uma espécie de intercâmbio cultural, que poderá ser enriquecido com a incorporação do Saci à turma de bruxas, abóboras e outros fantasmas. É que, desde 2005, o governo brasileiro instituiu o Dia do Saci, comemorado na mesma data, para valorizar nossa cultura popular. Reproduzo, abaixo, texto e fotos do amigo Maurício Flamini, que gentilmente me convidou para participar da sua festa anual de Halloween. Não pude comparecer, mas pretendo, na próxima, participar vestida de Saci (rs)!




Maurício Flamini, presidente do Instituto 14 Bis de Educação e Cultura e professor de Língua Inglesa, realizou na noite de sexta, 26 de outubro, mais uma festa de Halloween. Dessa vez, seus amigos desfrutaram de uma noite bem peculiar ao som do DJ Faustino que trouxe desde clássicos do Rock até o Pop do momento. A decoração contou com a supervisão de uma empresa especializada. Ela colocou os convidados totalmente imersos em uma atmosfera que transformou o charmoso salão da Bia Pizani num campo de surpresas aterrorizantes. O destaque da decoração ficou para as mesas de doces e salgados.

O ponto máximo da noite foi o show de mágicas com José Carlos, ilusionista, que com números personalizados para uma festa de Halloween, fez a plateia ter calafrios quando usou uma serra elétrica em uma das convidadas, a guilhotina em outro e num passe de mágica, trocou de paletó com o anfitrião, o que seria fácil se não estivesse totalmente amarrado. Como não poderia faltar em toda festa de Dia das Bruxas, o concurso de fantasias e caracterizações mostrou toda a originalidade e criatividade dos convidados. 
Foi nesse ambiente ricamente ilustrado com o tema que a festa durou até a madrugada. Maurício define como “um momento para se exorcizar o estresse de um ano de muito trabalho e celebrar as grandes conquistas”. Ao contrário do que se pensa o Halloween, originalmente comemorado no dia 31, afasta tudo o que é ruim e atrai o que há de bom.
Maurício acredita na importância de envolver quem deseja aprender o idioma Inglês com a cultura dos países falantes dessa língua, mas afirma que a valorização dos costumes brasileiros e regionais deve estar acima de qualquer outra forma de expressão cultural.





















Contato com os profissionais do Halloween:
DJ Faustino, cel. 8702.5898
Angela Festividades, cel. 8833.0593
Bia Pizani Eventos, cel. 8895.0713
José Carlos Ilusionista, cel. 9164.1972.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

transformAÇÕES

guerreira da roça

guaxupé - cem histórias