dicas de uma eleitora indignada

Hoje, Marina Silva está em alta, talvez, mais que os eleitos à disputa do 2º turno. Chocante é tentarem diminuir a importância do voto de cerca de 20 milhões de brasileiros sob alegações religiosas. Segundo reportagem no msn, Dilma perdeu votos para a candidata do PV por ter se manifestado favorável ao aborto. Subestimar os eleitores é muito triste. Melhor crer que 20 milhões votaram em favor de um novo olhar sobre o capitalismo, sobre o desenvolvimento sustentável e sobre a reforma política, contra o projeto da usina de Belo Monte, no Xingu, contra o investimento na extração de petróleo em detrimento das energias limpas, entre outras causas cruciais para o futuro do planeta.

E não é que um indivíduo, sob o pretexto de comemorar a eleição dos seus candidatos, destampou a soltar foguetes no final da tarde? E assim fez, durante 15 minutos ou mais. Que me desculpem as empresas que sobrevivem da venda desses produtos, melhor seria investir em pesca e outras atividades esportivas mais saudáveis. No mais, "puxa-sacos" me dão nojo. Mais ainda, aqueles que se sentem valorizados por tal prática e, até mesmo, incentivam este tipo de conduta. Coitados, nunca conhecerão o sabor de um carinho ou elogio sincero. Ou, simplesmente, de um favor sincero, do tipo que não espera nada em troca.

Atitudes como esta ficam ainda mais fora de contexto no Dia Mundial dos Animais (04.10) e de São Francisco de Assis (grande santo, deixou de lado suas vaidades - contam que teve muitas - em prol de uma vida simples). Hoje, pela manhã, caminhando na Rua Irene Ribeiro do Valle (Bairro Nova Floresta) uma senhora apontou uma cadela, machucada ou doente, que estava no meio da rua e, recentemente, deu cria a vários filhotes num terreno baldio, vizinho ao número 262 onde mora. Perguntei se havia entrado em contato com a Guaxu SOS Animal. Ela respondeu que sim, mas em vão, pois não obteve ajuda. Notícia triste para mim que fui voluntária (e diretora) da Guaxu durante oito anos (2001-2008). Sem dinheiro, fizemos o possível para ajudar os animais. Saí na época em que foi aprovado um orçamento de 45 mil reais/ano para a instituição. A atual presidente, Érgia Antonelli, afirma que a prefeitura não vem cumprindo este acordo. Ou seja, sem lugar pra colocar os animais, a maioria morre abandonada. Como, provavelmente ocorreu com os filhotes desta cachorra com a chuva forte do final da tarde. Tentei entrar em contato por telefone com duas voluntárias atuais, sem sucesso. Infelizmente, hoje em dia, não quero e nem posso investir tempo, dinheiro e afeto com animais alheios: cuido de nove cães e de uma gata, todos adotados das ruas. Mas esta situação me deixa bastante consternada, envergonhada, até. É preciso ler com cuidado a Lei 1.909 que permite o sacrifício de animais abandonados e, se for o caso, pedir revisão da mesma. Para o poder público não é difícil começar a mudar este cenário sinistro, o investimento é baixo. Ainda mais quando se pensa no custo/benefício em médio prazo. Basta boa vontade, senhores: "chipagem" e cadastramento de todos os animais da zona urbana e rural, aplicação de multas em proprietários infratores, vigilância das três entradas principais da cidade, parceria com o Ministério Público e PM para coibir maus-tratos (inclusive implantar um disque-denúncia), manter um canil municipal (em parceria com a Guaxu) para retirar fêmeas no cio das ruas, prestar primeiros-socorros e abrigar, temporariamente, animais abandonados e elaborar um projeto permanente de educação nas escolas, públicas e privadas (IMPORTANTÍSSIMO: realizar campanhas de castração gratuitas uma ou duas vezes ao ano).

OPINIÃO PÚBLICA

O prefeito Roberto Luciano também é blogueiro. Escreve periodicamente no seu blog, opinião pública - www.robertoluciano.com.br - sobre temas de interesse coletivo. Algumas vezes, tentei postar um comentário e não consegui. Provavelmente, o problema esteja nas configurações do blog. Certamente, o prefeito blogueiro, que tem a opção de moderar os comentários, ficará satisfeito com a participação dos leitores, o grande diferencial deste tipo de atividade em relação aos sites da internet. Taí uma dica, de companheira pra companheiro.

No Opinião Pública li:
"Como o IBGE em Guaxupé não está encontrando nossa população vai aí alguns números para reflexão antes da finalização da “Pesquisa”:
Número de eleitores: 36.867 ( Fonte: TSE )
Alunos matriculados em creches, escolas municipais, estaduais, privadas, menores de 16 anos e portanto não eleitores: 12.067 (Fonte Sec. Municipal de Educação).
Sem contarmos as crianças de 0 a 3 anos que estão fora das creches e a população não eleitora, chegamos a uma parcial de 48.934.
Total de domicílios com ligação de água potável: 16.031(Fonte: Copasa). Considerando 3.2 moradores por residência, de acordo com o perfil nacional das famílias, a cidade projeta uma população de 51.299 habitantes.
Essa expectativa é portanto muito próxima dos números estimados pelo Fundo Nacional de Saúde de 52.524 para Guaxupé."


Achei oportuna esta postagem e gostaria de ver este mistério, finalmente, solucionado. Há tempos ouço, aqui e ali, que os números dos censos do IBGE não condizem com a realidade do município, atendendo interesses de uma minoria privilegiada. Com uma população abaixo de 50 mil habitantes, o retorno de dinheiro para o município é menor e, ainda, há algumas restrições quanto ao número de prestadores de serviços públicos. Não tenho conhecimentos amplos sobre esta questão, mas se o prefeito estiver certo é preciso apurar quem são os responsáveis por tais irregularidades. Ou é difícil?

Comentários

bisteca disse…
Transcrevo e-mail do amigo Lauro Baldini, doutor em Linguística:


Sheila, tentei comentar no seu blog e não consegui. Dê uma olhada
nessa discussão aqui:

http://escrevalolaescreva.blogspot.com/2010/10/nao-culpo-marinistas-so-acho-voces-uns.html

O bicho tá pegando!

De minha parte, prefiro essa análise aqui:
http://www.idelberavelar.com/archives/2010/10/o_que_dizem_os_votos_de_marina_e_como_conquistalos.php

Beijo,

Lauro.
bisteca disse…
oi, dileto LB:

Tentei deixar um coments pra Lola, também, e não consegui...
Primeiramente, pra elogiar o blog pelo número de anos na ativa e, também,
porque curti demais o filme Corra, Lola, Corra.

Principalmente, gostaria de lembrá-la se alguém deve temer alguém são os
petistas. Os marinistas, como Lola debocha dos ingênuos eleitores da Marina,
estão no poder (vide Biscoito Fino), pois são esses eleitores que decidirão
com quem ficará a presidência.

No mais, concordo com ela que, pelo menos eu, sou despolitizada, em partes,
e ingênua.

Mas discordo em diversos pontos, sou a favor dos plebiscitos sobre a questão
do aborto e dos gays; no Brasil está impossível votar em partidos, visto que
as ideologias foram pro brejo com tanto vaivém de políticos; coligações
pmdbistas não são melhores que tucanas ou dem sei lá o quê; finalmente, não
acho que votar na Marina atendeu a interesses tucanos, não foi voto útil.

Para mim, mais que os votos de evangélicos, vale o apoio de pessoas que
querem mudanças já e menos demagogia (vide votação em BH). Pelo que sei, ela
brigava muito com a Dilma, por sua demora em liberar as autorizações do
Ibama qdo estava no Ministério do Meio Ambiente.

Achei mais sábias e sóbrias as colocações do Biscoito Fino:

"...se há uma mensagem relevante que a campanha de Marina tentou transmitir
é a crítica à redução do mundo a uma lógica contábil."

Concordo plenamente que a campanha da Dilma na internet foi muito pobre, só
recebi e-mails detonando ela. Veja bem, acredito que tenha maior número de
amigos petistas....

Também concordo: Marina tá com a faca e o queijo nas mãos, deve negociar com
o PT sobre pontos cruciais, se sua boa intenção em relação ao meio ambiente
seja sincera. Ou, talvez, ficar imparcial aguardando a campanha de 2014, se
o negócio dela for só jogo político, who knows?

Ainda preciso definir meu voto no 2º turno, mas preciso antever humildade e inteligência nos petistas.

beijos e obrigada pelas dicas
Sheila
Anônimo disse…
Sheilíssima, é isso aí: acho que a Marina representou um contraponto
ao perfil de Serra e Dilma. No entanto, infelizmente, quando tinha
oportunidade de se manifestar concretamente sobre suas propostas e
projetos, Marina escapava pela tangente, com observações vagas e
superficiais. O Plínio deitou e rolou por isso.

Agora, de fato, Marina vai decidir a eleição. Se optar pela
neutralidade, estará dando apoio a Serra e ao projeto do PSDB. E vai
ficar sem nada depois que Serra ganhar. Humildemente (não entendo
tanto assim de política), acho que seria um tiro no pé.

Você tem razão quanto ao fato de os partidos terem perdido o viés
ideológico. É uma pena. Na atual fase do capitalismo, está difícil
localizar direita e esquerda, mas ainda assim penso que Dilma
representa algo muito diferente de Serra. Tenho severas críticas ao PT
e à Dilma (muito mais severas do que as críticas da direita), mas não
quero o entreguismo e elitismo psdbista.

Bom, concordo contigo que as pessoas que votaram na Marina, pelo menos
parte delas, quer "mudanças já e menos demagogia", mas, me desculpe,
as declarações de Marina foram um tantinho demagógicas sim. Essa coisa
de "um mundo mais verde", "retorno a natureza", etc., sem propostas
concretas e num discurso ecocapitalista me parece demagogia sim. Vide
Gabeira, companheiro de Marina, que adotou sem rodeios um discurso de
direita e militarista. Não é à toa que levou um tombo. Além do mais,
Sheila, o PV não é nem nunca foi de esquerda. Sempre fez o jogo da
direita. É só olhar quem são os barões do partido.

Por fim, restam os números. É só olhar: Lula dá um banho em FHC em
todos os indicadores sociais. Isso me ajuda a decidir meu voto.

Vamos conversando. Beijo,

Lauro.
bisteca disse…
Vamos conversando, LB,
é sempre bom, especialmente com vc,
tão inteligente e sensato.
concordo c/você em muitos pontos.
mas sou leitora da Página 22 e a colunista de política, da revista,
Maristela Bernardo, ficou abertamento do lado da Marina, e eu, confiei nela.

Postagens mais visitadas deste blog

transformAÇÕES

guerreira da roça

guaxupé - cem histórias